quarta-feira, 27 de junho de 2012

FUCK YOU!



   Antes de tudo eu gostaria de dizer que não é minha intenção transformar o blog num diário, onde contarei tudo o que acontece em minha vida. Mas sinto que isso talvez sirva pra mais pessoas que talvez estejam passando por circunstâncias parecidas.

   Começo literalmente a vomitar essas palavras porque me sinto nauseado.

   Infelizmente, tal náusea não é causada por algo que eu tenha comido, e sim pelas pessoas e pelas coisas que elas são capazes de fazer.

   Estou profundamente cansado de palavras, portanto serei breve. Palavras, promessas, frases prontas, todas essas coisas ditas apenas da boca pra fora me deixaram exausto! Então, a partir de agora eu aconselharia as pessoas a não perderem seu tempo se dirigindo a mim com palavras vãs, soltas por acaso. Quero sentimentos que sejam de VERDADE, que sejam SINCEROS, que sejam DE DENTRO PRA FORA!

   Não diga “Eu te amo” pra alguma pessoa. Ela pode acabar acreditando, e, no final quem ganha mais uma ferida pra cicatrizar não é você. Diga isso apenas quando for absolutamente sincero, entendeu ou precisa que eu soletre? S-I-N-C-E-R-O.

   Caso contrário cale-se, permaneça quieto em seu canto, mudo.

   Pra dizer a verdade, ainda não entendo o porquê de tudo isso, minha vida parece uma sucessão de coisas que não fazem sentido algum. As duas últimas noites talvez tenham sido as mais difíceis de suportar. Mas eu tenho a absoluta certeza que um dia eu olharei para trás e verei que tudo não passou de um pesadelo, porque, meu bem, eu não tenho vergonha de ser como sou, e não tenho a mínima intenção de agradar ninguém.

   Mas foda-se.

   Não vou dizer que espero que você amadureça porque aí o negócio já deve estar podre.
  
   Agora, como a própria Lily diz, uma música dedicada á todos os idiotas que tentam atrapalhar a sua vida.




Beijos e felicidades a você e á vadia ouvinte de Banda Mercosul (bom gosto é pra pucos, né!)

sábado, 23 de junho de 2012

AMOR!


   O lançamento recente de um livro despertou-me pra algo que até então eu não havia parado para refletir com calma. Trata-se do livro @mor, que traz na capa a seguinte questão; “Se você já encontrou a pessoa perfeita, porque se arriscar a conhecê-la?”

   O livro trata de um tipo de amor que certamente a maioria das pessoas já viveu. Amor virtual. Aliás, parando para pensar, isso pode ser realmente considerado amor...? Quer dizer, você passa a ter calafrios, sentir borboletas no estômago, fantasiar coisas que talvez nunca venham a acontecer, com uma pessoa que você nunca se quer viu! Nunca sentiu o cheiro, o toque...

   Você começa pensando ser besteira, nada sério, mas aí chega o momento em que você se recusa a conhecer novas pessoas por se sentir preso a aquela criatura que conheces apenas virtualmente. A PORRA PARECE FICAR SÉRIA! Mesmo você repetindo a si mesmo incansavelmente que isso não passa de uma ilusão.

   Mas como as pessoas gostam de se iludir, não é?

   Como é bom pensar que a pessoa perfeita te espera do outro lado da tela. A pessoa compreensível e amorosa com a qual você viverá uma dessas histórias de cinema, ou que se lê em livros. Como é bom pensar que finalmente você irá descobrir o amor, o verdadeiro amor! Como diria Christian, “O amor é como oxigênio. O amor é uma coisa esplendorosa. O amor nos leva as alturas. É tudo o que precisamos!”

   Então, mesmo que por alguns instantes acredita-se que esse amor está perto, que finalmente irá vivenciá-lo, que finalmente aquele sonho de adolescente parece estar se tornando algo palpável...

   A pior coisa de todas é o terror (sim, ABSOLUTO TERROR!) que você sente diante a uma encontro com a pessoa com a qual tanto já se fantasiou. E se eu não for isso que ele espera? E se eu decepcioná-lo? E se ele sair correndo assim que me ver e tropeçar na rua e ser atropelado por um caminhão de porcos?????? Ah, meu Deus, tudo isso passa pela sua cabeça, todas as possibilidades possíveis, TUDO, t-u-d-o, T/U/D/O! É praticamente uma tortura.

   É essa coisa maldita chamada insegurança.

   O jeito é contar até 58494632628 e tentar se acalmar, respirar fundo até que tudo aconteça. Você está ciente de suas intenções e atitudes, mas é impossível saber o que se passa na cabeça da outra pessoa. Seria tudo tão lindo se as coisas acabassem como nos contos de fadas “E eles foram felizes para sempre...” mas não!

   O jeito é esperar, e continuar a fantasiar, a não ser que a pessoa em questão mude seu status no facebook para ‘’em um relacionamento sério com uma bitch qualquer.’’  Aí fudeu L


Para quem quizer saber mais sobre o livro citado acima, eis aqui o endereço dele no Skoob: http://www.skoob.com.br/livro/230624-amor
 Beijos nervosos desse que vos escreve.
 Não que essas coisas citadas acima alguma vez aconteceram comigo, imagina, que piada! hahahah