quarta-feira, 25 de julho de 2012

Pele



     Está frio e eu me despi da sua pele.

    Ainda não sei exatamente o porquê, ou quando aconteceu. Foi simplesmente esvaziando, murchando, assim, aos poucos, tão devagar que nem nos permitiu saber em que época aconteceu. É incrível como o tempo tem o poder de mudar as coisas e as pessoas sem que percebamos. Quando nos damos conta simplesmente aconteceu, as mudanças estão lá mesmo que não estejamos preparados para lidar com elas. O tempo é cruel. Pelo modo como eu me perdia a cada vez que te encontrava, pensei que as coisa poderiam ser duradouras, era quase como brincar de esconde-esconde. Era. Do passado.

   Depois de satisfeitas as curiosidades de ambas as partes, não há mais motivos para aquelas longas conversas na madrugada. Se tornara algo mais momentâneo, efêmero, cuja vida não durava mais do que um cumprimento e a troca de meia dúzia de palavras.

   É engraçado como pessoas que um dia foram tão íntimas de repente se tornam apenas conhecidas. E num futuro não muito distante talvez nem isso mais elas sejam, afinal sempre podemos mudar, não é? Receber a vizita do tempo é algo inevitável, então, pra que se preocupar. Deixemos que ele se encarregue do resto.  

    Apesar do frio, não sinto falta da sua pele.


  Ale Schappo

sexta-feira, 20 de julho de 2012

Encontro Marcado.



     E depois de muito tempo que havíamos nos separado ele me perguntou se eu não tinha encontrado mais ninguém nesse intervalo.

  — Encontrar, eu encontrei. – Respondi, percebendo o leve sorriso que se esboçara em seu rosto desaparecer. Certamente ele tinha total consciência da minha incapacidade de manter relacionamentos amorosos. – Encontrei e desencontrei... Acabou que eu perdi a mim mesmo nesse processo, agora tenho de tratar de me reencontrar.
  Ele apenas acenou a cabeça. Não era um bom momento para tentar a reaproximação. A fase que eu estava vivendo não era das melhores e definitivamente ele não me acompanharia por ela. Nesses encontros e desencontros talvez eu dê a sorte de topar com alguém que aceitaria segurar minha mão em qualquer que seja a fase – ela boa ou ruim – e siga em frente sem pedir por que, sem pensar em como, apenas viver e sentir, sentir tudo. É disso que as coisas são feitas afinal, de sentimentos.
   Por definitivo; O único encontro que irei marcar será comigo mesmo, num futuro não tão distante, espero.

  
Alê Schappo.

segunda-feira, 16 de julho de 2012

Síndrome Maria do Bairro




    Também conhecida como doença do exagero, esse é um mal que vem acometendo cada vez mais pessoas. Confesso que sim, sou dramático e muitas vezes exagerado. A diferença é que faço drama com coisas pequenas, como uma nota baixa, uma relaçãozinha sem importância não correspondida, enfim.

   Algumas pessoas sofrem do mesmo mal, só que em um nível mais agudo. BEM mais agudo. São aquelas pessoas que fazem questão de despejar todas as suas desgraças nas redes sociais, seja pra chamar a atenção ou se fazer de coitadinho. Infelizmente conheço pessoas assim pessoalmente, e PORRA, as coisas não condizem em momento algum! Ficar atualizando seus status a cada cinco minutos com um mimimimi INFERNAL, por favor!

    CACETE, começo dizendo que não acredito nesses lutos virtuais em que a pessoa fica chorando as dores de um ente perdido no Facebook e twitter. MEU BEM, SE VOCÊ ESTIVESSE MESMO SOFRENDO NÃO TERIA NEM VONTADE DE SEQUER LIGAR O COMPUTADOR. E não pensem que eu falo isso da boca pra fora, ou sem fundamente algum, são experiências próprias. Cada um tem a maneira própria de colocar suas dores pra fora? Sim, isso é claro, mas ficar espalhando pra quem quiser ouvir? Transformar sua vida num espetáculo de circo? É essa mesma sua pretensão? Oh Bitch, dê um tempo.

   Quer ter sua vida mostrada para quem quiser ver 24 horas por dia? Inscreva-se num desses reality show. Assim ao menos você estará ganhando algo em troca e no final, se quiser, poderá até mostrar a xeca numa dessas revistas. É MELHOR DO QUE POSTAR UMA FOTO DO SEU DECOTE SÓ POR ALGUNS MINUTOS, PRA GERAR O DEVIDO BURBURINHO, É CLARO. DEPOIS DELETAR E POSAR DE SANTA. P-U-T-A.

   Essa é somente uma das várias coisas que me irritam. E sabe que depois bate até uma pena. Pena de como algumas pessoas sentem a necessidade de expor suas vidas, como se tivesse de provar algo a alguém. E por hoje sem mais, antes que eu acabe citando nomes *meus dedos coçam por isso*



    -A

domingo, 1 de julho de 2012

MARAVILHA!


   Então meu povo, pra quem não sabe Maravilha é o nome da cidade em que moro. Não sei ao certo, e também nem me interessa saber, mas acho que tem mais ou menos vinte mil habitantes. Ou não. Sei lá. Você deve estar se perguntando; quem nasce em maravilha é...? Maravilhoso, é claro! (Ah, desculpem, não resisti a piadinha)

   Ok, não foi pra asneiras que comecei a escrever esse post. Só queria mostrar um tanto da minha revolta contra essas pessoas (próprios moradores) que insistem em falar mal da cidade.

   É fato que a cidade é monótona, dado seu tamanho, então um dos principais pontos de encontro acaba sendo mesmo a praça central, e, nos domingos á noite a Avenida Araucária. Partindo desse ponto aqui todo mundo conhece quase todo mundo. Então, torna-se normal falar da vida alheia, seja bem ou mal.

   Existem pessoas fofoqueiras? Sim, como em qualquer lugar do mundo (até mesmo em Londres *pasmem*) Existem pessoas que julgam? Tanto quanto existe em LA (pode ficar chocado) Existem piriguetis?  Sim, assim como em Las Vegas. EXISTE TODO TIPO DE PESSOA, SEM GENERALIZAÇÃO, É CLARO.

   MAS ENTÃO, VOCÊS QUE FICAM RESMUNGANDO, RECLAMANDO SOBRE A CIDADE E SOBRE SEUS HABITANTES, O QUE FAZEM PARA MUDAR ALÉM DE TUITAR MERDA E ESCREVER FRASES (APARENTEMENTE INDIGNADAS E VERDADEIRAS) EM SEUS MURAIS NO FACE COM O TRASEIRO GORDO SENTADO NA FRENTE DO COMPUTADOR?

   AH, CLARO, VOCÊS MESMOS PERDEM MUITO TEMPO CUIDANDO DO SEU MEDO DE O QUE AS OUTRAS PESSOAS PODEM PENSAR SOBRE VOCÊ. Ah, me poupem.

   Espero meus amores, que tenham consciência de que fazem parte de tudo isso. Quer mudanças? Então haja. Faça a diferença.

   É bom pensar antes de escolher seus governantes. E quando eu digo isso me refiro em pensar no bem estar de todos e não apenas no conforto que você terá depois de conseguir um cargo público vendendo seu voto. E se quiseres fazer campanha, que não seja por interesse próprio.

   Algumas pessoas tão pequenas são TÃO idolatradas por esses lados. Pessoas que querem impor moldes aos quais todos devem se adaptar, e, quem não o fizer, sofre preconceito, julgamento. Existem pessoas tão ignoráveis! ~ preguiça de vocês. ~

   Ah, nessa cidade também há quem considere um concurso de miss evento cultural! PERCEBEM A CULTURA EXISTENTE NUM CONCURSO DE MISS? Oh Lord, é praticamente como visitar uma bienal de arte moderna, só que não. Parece necessário, a cada ano, eleger um novo molde aparentemente perfeito, afinal, todos já estão cansados do antigo, já se passaram 365 dias! Que descartável!

   Mas enfim, só queria deixar registradas essas palavras aqui, por estar cansado de encarar na rua todos os dias pessoas tão ignorantes, e, depois nas redes sociais, pessoas tão reclamonas! Façam algo que ajude a mudar esse lugar, abram seus olhos e tentem abrir os do próximo, as vezes precisamos de um empurrão para enxergar melhor. E espero, sinceramente, que um dia as coisas mudem, que deixemos de olhar somente para nossos umbigos e consigamos agir como um só...

   Ingênuo eu? Imagina.