segunda-feira, 16 de julho de 2012

Síndrome Maria do Bairro




    Também conhecida como doença do exagero, esse é um mal que vem acometendo cada vez mais pessoas. Confesso que sim, sou dramático e muitas vezes exagerado. A diferença é que faço drama com coisas pequenas, como uma nota baixa, uma relaçãozinha sem importância não correspondida, enfim.

   Algumas pessoas sofrem do mesmo mal, só que em um nível mais agudo. BEM mais agudo. São aquelas pessoas que fazem questão de despejar todas as suas desgraças nas redes sociais, seja pra chamar a atenção ou se fazer de coitadinho. Infelizmente conheço pessoas assim pessoalmente, e PORRA, as coisas não condizem em momento algum! Ficar atualizando seus status a cada cinco minutos com um mimimimi INFERNAL, por favor!

    CACETE, começo dizendo que não acredito nesses lutos virtuais em que a pessoa fica chorando as dores de um ente perdido no Facebook e twitter. MEU BEM, SE VOCÊ ESTIVESSE MESMO SOFRENDO NÃO TERIA NEM VONTADE DE SEQUER LIGAR O COMPUTADOR. E não pensem que eu falo isso da boca pra fora, ou sem fundamente algum, são experiências próprias. Cada um tem a maneira própria de colocar suas dores pra fora? Sim, isso é claro, mas ficar espalhando pra quem quiser ouvir? Transformar sua vida num espetáculo de circo? É essa mesma sua pretensão? Oh Bitch, dê um tempo.

   Quer ter sua vida mostrada para quem quiser ver 24 horas por dia? Inscreva-se num desses reality show. Assim ao menos você estará ganhando algo em troca e no final, se quiser, poderá até mostrar a xeca numa dessas revistas. É MELHOR DO QUE POSTAR UMA FOTO DO SEU DECOTE SÓ POR ALGUNS MINUTOS, PRA GERAR O DEVIDO BURBURINHO, É CLARO. DEPOIS DELETAR E POSAR DE SANTA. P-U-T-A.

   Essa é somente uma das várias coisas que me irritam. E sabe que depois bate até uma pena. Pena de como algumas pessoas sentem a necessidade de expor suas vidas, como se tivesse de provar algo a alguém. E por hoje sem mais, antes que eu acabe citando nomes *meus dedos coçam por isso*



    -A

2 comentários:

  1. A primeira vez que você mencionou esta síndrome em meu blogue eu rachei de rir. Eu chamo de síndrome do coitadinho, porém, acredito que exista diferenças entre elas, os que tem síndrome Maria do bairro parecem ser mais exagerados.
    Sinceramente, eu não vejo muita diferença entre as redes sociais e os reality shows por aí, todos tem o mesmo intuito, acompanhar a vida alheia e expor a própria.
    Pessoas me enchem demais o saco, ficam cobrando exposição de fotos, eu não quero isto, respeito quem o faz, tal como respeito quem não o faz. Para que o drama? E para que esta curiosidade mórbida.
    E os mimimis "bipolares?". Deve ter percebido, mas estou cada vez menos frequente no Twitter e o Tumblr, onde meninas se cortam (dá vontade de gritar em caps lock CORTA LOGO A JUGULAR!, mas claro, EU seria o errado e EU seria processo por incentivo ao suícidio, como se as mesmas tivessem mesmo coragem pra isto ¬¬´)e ficam fazendo poses ensanguentadas. Ah, só uma coisa a dizer: VÃO SE FODER! Talvez assim, consigam ser um pouco mais felizes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Desculpe os erros, digito muito rápido e tenho dedos psicopatas.

      Excluir